sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Carta Pastoral 063 - "Fome de Guerra"



Carta pastoral – Agosto de 2017 – ano II – 063
Série “Viver Cristo em tempos de crise”
“Fome de Guerra”
Textos para ler: Hb 12.14; Rm 12.17-21; Mt 5.9; Tg 3.17-18
Queridos e amados irmãos, que a graça e paz do Senhor seja sobre sua vida e sua família.
Nos últimos dias tem crescido a tensão e ameaças entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte. Alguns analistas consideram que é quase inevitável uma guerra entre esses dois países, o que poderia desencadear em uma terceira guerra mundial, e uma guerra nuclear. Já fazem muitos anos que oro pela Coreia do Norte por conta da perseguição aos cristãos (eles estão em primeiro lugar na lista dos países que mais perseguem e matam cristãos). Mas alguns dias atrás fui pesquisar um pouco sobre esse país e fiquei admirado em algumas questões; o país tem um grande potencial de se tornar uma das nações mais prosperas do mundo. Eles têm muito petróleo, a tecnologia deles é avançadíssima e um povo muito trabalhador e inteligente. Porém o que impede o avanço desse país é a “fome de guerra” que o seu ditador Kim Jong-un tem. Boa parte da população norte coreana vive na mais terrível miséria (morrem de fome), pois quase todo o recurso financeiro do país é investido em armas e exército pelo Líder do país.
Essa situação não difere da vida de muitas pessoas! Quantas pessoas têm potencial para uma vida muito abençoada e prospera. São inteligentes, talentosas e até dedicadas à obra de Deus, mas lamentavelmente, têm “fome de guerra”. Não conseguem se firmar no emprego, ter um casamento ou relacionamento duradouro, não ficam em uma igreja ou ministério por muito tempo; tudo isso porque estão sempre em conflito com alguém. Estão sempre à procura de contendas e guerras. É diante desses fatos que precisamos nos atentar para alguns fatores importantes:
1.      Deus abomina a contenda Pv 6.16-19. A contenda não só desagrada a Deus mas é abominada por ele. A discórdia entre irmãos, a inveja, o espírito faccioso e tantos outros males que produzem a guerra entre pessoas são consideradas obras da carne, e quem as pratica não herdará o Reino de Deus, além receberem severa punição.
2.      A guerra só traz destruição Is 13.15-16. Aqueles que têm “fome de guerra”, à tem por quererem se sentir poderosos. Sentem prazer em ver alguém destruído por ele. Porém é uma ilusão, pois a guerra também os destrói. Destrói seus relacionamentos, seu potencial, sua vida com Deus...o faz viver isolado do mundo e longe de Deus.
3.      Nossas guerras são contra outros inimigos Ef 6.12. A Bíblia fala muito de guerras e batalhas para nos mostrar que temos que guerrear sim, mas não contra os homens. Nossa batalha é contra o mundo em seu sistema pecaminoso, contra as nossas fraquezas carnais e contra o diabo que é nosso arque inimigo. Essa sim, é a guerra que devemos travar todos os dias e sair vitoriosos, pois as armas que o Senhor nos dá são poderosas 2Co 10.4.
4.      Somos chamados para a PAZ Mt 5.9. Deus nos chamou para viver em paz Jo14.27 e para promover a paz. Não há nada melhor do que viver em paz, poder entrar e sair em qualquer lugar e se sentir querido ali. Desfrutar de paz dentro lar e com os irmãos em Cristo. Para isso é necessário buscar essa paz através da humildade Mt 5.39-41, do perdão Mt 6.14-15, e da reconciliação Mt 5.23-24. Quando nos alimentamos da palavra de Deus, da comunhão com os irmãos, do amor com o próximo, não tem como ter “Fome de guerra”.
Vamos ter um momento de clamor pelas as nações. O mundo precisa da nossa intercessão e de que o evangelho da paz seja pregado. Se coloque à disposição do Senhor nesse momento para ser um mensageiro da paz por esse mundo. Em Cristo Jesus, o príncipe da paz. Até a última casa!
                                                                           Pr. Luiz Antonio

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Carta Pastoral 062 - "Não conseguem pagar"



Carta pastoral – Agosto de 2017 – ano II – 062
Série “Viver Cristo em tempos de crise”
“Não conseguem pagar”
Textos para ler: 1Pe 1.18-21; Is 43.3-4; Ap 5.9; At 20.28; 1Co 6.20
Queridos e amados irmãos, que a graça e paz do Senhor seja sobre sua vida e sua família.
O que mais se ouviu falar nos últimos dias pelas mídias, foi a negociação envolvendo o jogador de futebol Neymar. O time francês PSG irá desembolsar um valor total, entre salários e contrato, de 1 bilhão e 700 milhões de reais para ter o jogador brasileiro (salário mensal de 13 milhões de reais) – a maior transação financeira da história do futebol mundial. Enquanto assistia a reportagem, comecei a pensar em muita coisa com relação ao dinheiro, a ostentação dos homens, a valorização e desvalorização humana e muitas outras. Foi quando o Espírito Santo falou ao meu ouvido – “VOCÊ CUSTOU MUITO MAIS”. Aleluia!
A Palavra de Deus nos diz que fomos comprados por um preço muito maior que valores monetários 1Pe 1.18. Sobre essa e outras verdades é que vamos refletir:
1.      Foi pago o maior preço por nós Fl 2.5-11. Existem diversas formas dos homens avaliarem um ao outro; pelo seu talento, saúde, idade, formação etc. Mas como avaliar o preço de Jesus? O Filho de Deus perfeito, Cordeiro Imaculado que tem todo poder nos céus e na terra. Que nem a morte teve poder sobre Ele. Será que algum dinheiro no mundo seria capaz de pagar por Jesus e o que Ele é capaz de fazer? Pois foi esse o seu valor! Deus deu o seu Filho unigênito pela nossa vida. O Filho de Deus deixou sua Glória se tornou humano e viveu cerca de 33 anos nessa terra de sofrimento e dor, se entregou nas mãos dos homens para todo tipo de humilhação até a morte para pagar o nosso preço.
2.      O seu valor não se baseia no que você faz ou pode fazer Rm 5.6-8. O valor de alguém no mundo está relacionado com o que ele já fez ou pode fazer de produtivo ou lucrativo, como é o caso de Neymar – foi pelo seu bom futebol, pelos títulos que ganhou nos clubes que jogou e pela sua pouca idade que os empresários entenderam que ele valeria tantos milhões. Mas o nosso valor não foi baseado no que já fizemos, pelo contrário, o preço foi pago quando não valíamos nada para esse mundo, éramos pecadores e Deus viu valor em nós. Outro fato é que nada que façamos, fará com que Deus nos ame mais, pois o seu amor para conosco é por meio de sua Graça em Cristo Jesus. Portanto, não importa se você já está avançado em idade ou por alguma limitação está impossibilitado de fazer mais para Deus. Ele te comprou para sua Glória. Deus te ama porque Ele é amor, não pelo que você faz pra Ele 1Co 6.19-20.
3.      Fui comprado por um alto preço para ser livre Gl 5.1. Imagine como será a cobrança em cima do Neymar a partir de agora. Todas as vezes que entrar em campo terá a obrigação de ser o melhor no jogo, afinal é o mais bem pago. Muitos jogadores que foram muito valorizados caíram de produção pois não aguentaram a pressão que viviam – se tornaram escravos do próprio valor. Mas quem foi comprado pelo sangue de Jesus, não vive sob pressão, vive para a liberdade Rm 8.15-17. Fomos comprados pela Graça de Deus para desfrutar da liberdade em Cristo. O Senhor espera de nós frutos, pois fomos escolhidos para frutificar Jo 15.16, porém frutos que fluem de uma vida liberta e restaurada pelo Senhor. Não somos escravos, somos Filhos.
Temos muito com que nos regozijar com o nosso Deus. Enquanto o mundo não vê valor em você e o diabo diz que você não presta por causa do seu passado, Deus diz que você é precioso aos seus olhos Is 43.4. Vá de encontro ao grande amor de Deus hoje e reconheça que só Ele é digno do nosso louvor e adoração Sl 116.12. Adore, trabalhe e se santifique em reconhecimento e gratidão pelo preço que foi pago na cruz por você. Em Cristo Jesus, esperança da Glória. Até a última casa!
                                                                   Pr. Luiz Antonio

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Carta Pastoral 061 - Com os homens é fácil



Carta pastoral – Agosto de 2017 – ano II – 061
Série “Viver Cristo em tempos de crise”
“Com os homens é fácil”
Textos para ler: Ap 20.11-15; Mt 25.31-32; 2Pe 3.7; Jr 17.10; 2Co 5.10
Queridos e amados irmãos, que a graça e paz do Senhor seja sobre sua vida e sua família.
No dia 02 de Agosto, em sessão “histórica” a Câmara dos Deputados aprovou a rejeição da denúncia do Ministério Público Federal contra o Presidente Michel Temer. Mesmo com a veracidade comprovada das gravações de conversas com o dono da JBS, mala de dinheiro e outras provas explícitas de envolvimento em corrupção, os Deputados brasileiros “absolveram” o presidente da denúncia e o caso foi arquivado até o final do seu mandato. No entanto é sabido de todos que essa aprovação ocorreu por meio de negociações de cargos e compra de votos com partidos e políticos em particular. Em suma, todos sabem que ouve crime mas o processo foi arquivado e o presidente está ileso (por enquanto).
Refletindo essa situação vergonhosa da nossa nação, vemos que a história se repete todos os dias – culpados são livres do castigo através de negociações, subornos, ocultação de provas e muitos outros meios. Mas o que não podemos nos esquecer é que há um Justo Juiz nos céus, cujos olhos são como chamas de fogo e nada foge do seu alcance, que aguarda a TODOS em seu tribunal. Por mais que escapemos dos tribunais da terra, há um no céu que nem os mortos escaparão dele Ap 20.13. Diante desse fato, precisamos nos atentar para algumas verdades:
1.    Precisamos nos preocupar com Deus Sl 119.7-12. É comum vermos as pessoas preocupadas com a reação dos outros quando cometem algum pecado. Buscam de todas as formas “resolver” o erro diante dos homens ou ficam tranquilas quando não descobrem o pecado. Davi pensou ter cometido o crime perfeito quando matou o marido de Bate-Seba, mas um dia o profeta Natã chegou em sua casa. De Deus ninguém se esconde, e essa deve ser nossa preocupação. Nos preocupamos com os efeitos do pecado em nossa imagem diante da sociedade (o que as pessoas vão pensar de mim) e esquecemos que o pecado afeta nossa imagem diante de Deus Is 59.2.
2.    A Justiça de Deus não falha Gl 6.7. O homem tem sido tomado por um sentimento de impunidade, mas essa é uma realidade apenas terrena. Já está decretado o dia do Julgamento Divino e não tem como adiar, prorrogar ou tentar obstruir. Pode se esquivar do STF, da Câmara, do Senado, do presbitério e do pastor, mas não do tribunal de Cristo 2Co 5.10.
3.    A Justiça de Deus é perfeita Sl 96.13. Vivemos em um mundo de justiça falha, onde as penas são indevidas, inocentes são condenados e criminosos riem da sociedade. O mesmo não se contextualiza com a Justiça Divina. Cada um receberá segundo as suas obras, boas ou más Jd 14-15. Aquele que tudo vê já tem em seu livro os nossos atos registrados para o grande Dia Ap 20.12. Não haverá condições para justificativas infundadas como costumamos fazer (fiz isso porque não sabia, fiz aquilo porque fui forçado, fiz aquilo outro porque não resisti).
Mas há uma esperança diante dessa realidade 1Jo 2.1-2. Temos um advogado em nosso favor JESUS CRISTO. Mais ainda, Ele foi condenado em nosso lugar para que pudéssemos ser absolvidos de toda condenação Rm 8.1, 33-34; Rm 5.1. Podemos confiar em Jesus para salvação da condenação futura. Não importa os crimes que cometemos, os pecados que praticamos, seu sangue é poderoso para nos purificar. Quanto aos políticos, líderes, poderosos e pecadores desse mundo, negociar com os homens é fácil – quero ver escapar de Deus. Em Cristo Jesus, nossa redenção. Até a última casa!
                                                                                               Pr. Luiz Antonio

Seguidores